28/02/2005

efeito

"...em profundo desespero de causa...
lancei-me no vazio da origem...
não enfrentei qualquer consequência...
pairei sobre ti numa eterna pausa...
onde tudo tinha um único efeito...
o de fazer perdurar a minha demência..."

27/02/2005

tecto


...pormenor do tecto do Café onde se deu o ponto de encontro para o jantar de bloguistas na charmosa cidade de Coimbra... apesar do frio, o conjunto das pessoas aqueceu o ambiente com alegria e jovialidade... gostei... venham mais...

26/02/2005

jantar

...de bloguistas hoje, em Coimbra... aí vou eu também... o problema é se me aparece algum Capuchinho Vermelho; não responderei por mim...

24/02/2005

sendo

"...amar, também é permitir ser e estar, tal qual o somos ou o desejamos ser, sem nada alterar a não ser a vontade de vencer, seja na dor, seja num olhar, num suave toque ou num dizer, numa palavra escrita, num saber ouvir e entender, num simples aceitar como sou e num simples viver com o que és..."

22/02/2005

realidade

"...Gedeão dizia que o sonho comanda a vida; e um dia, alguém disse que a vida é um intervalo que a morte nos concede; é um curtíssimo intervalo esse no qual para além de o termos de viver ainda temos que o fazer a sonhar; sonhemos então, de forma a que esse intervalo seja algo pelo qual valha a pena adormecer, de forma a que esse intervalo seja, pelo menos...real..."

20/02/2005

votar

...ontem reflecti... hoje, votei... cumpri o meu dever de cidadão; nada mais simples; um pequeno passeio a pé até à mesa de voto, o colocar uma cruz no local que houvera já decidido há muito tempo não só por fidelidade como por convicção... e hoje, deixo aqui apenas estas palavras...

18/02/2005

sorrir

"...abre-te ao mundo que te rodeia e sorri o mais que puderes... e, por mais lágrimas que tenhas, não as guardes, deita-as cá para fora, grita se disso precisares mas, no fim de cada choro, mesmo assim, resplandece-te com um sorriso..."

16/02/2005

pleno

"...com um pouco de loucura, viajo dentro de mim, olhando o meio em que me enleio, adicionando à vida um pouco de ternura, e parto à procura do dia em que me encontre pleno de mim mesmo, sem culpas nem perdões, apenas com laços de paz e bons e apertados abraços de solidões presentes nestes eternos momentos de carinhos ausentes..."

15/02/2005

albis


...de repente ao olhar esta beleza lembrei-me de uma marca de vinho; como havemos de entender a mente humana?... talvez, profana?...

14/02/2005

eternizar

"...Os meus olhos pousam em ti e todos os meus sentidos te olham num delirar mútuo de atenção... Vejo o teu corpo e deleito-me na tua alvura... Cheiro o teu cheiro e aspiro a tranquilidade da tua paz... Ouço o teu respirar lento, como um lamento que não lamento... As minhas mãos tocam os teus cabelos e envolvem-se neles... Acerco-me de ti e te toco... Te sinto global e ali inteira frente a mim... Beijo a tua boca e tudo se torna como num festim de doces carícias e sabor a sal... Estou inteiro no teu corpo inteiro e me sinto nele como sinto o teu corpo em mim... É apenas um abraço, um enlace de braços que apertam sem apertar, sentindo apenas o teu respirar... Minhas mãos percorrem a tua pele acetinada linda... Fecho os olhos procurando apenas sentir... E sinto o desejo crescer em mim e o teu arfar sobe de tom... Como é bom... A minha boca se cola na tua boca e a minha língua se funde dentro dela como se da tua se tratasse... É apenas mais um enlace... Sinto o teu peito quente junto ao meu e beijo teus mamilos num acto de procura da loucura... Loucura que me invade lentamente, premente ali presente ou então como se tudo mais estivesse ausente... Meus braços te envolvem e se descobrem momento a momento como se fosse a primeira vez que no teu corpo se movem... Sinto o cálido odor do teu corpo quente de amor, oferecendo-se como numa espécie de orgia sem pudor... Minhas mãos tacteiam centímetro a centímetro toda a tua pele, todos os recantos de teus encantos e se encontram, de repente, sobre o teu ventre quente, dolente... Afago tuas coxas e as tuas ancas e as aperto contra mim... Procuro o teu sexo e o acaricio... Beijo-te completamente num único beijo e me torno desejo do teu próprio desejo... Te envolvo num abraço mais e te penetro... És tu que me possuis... Não te tenho, és tu que me tens... Movimentos se entrelaçam como se não fossemos dois mas um só... Os nossos corpos se fundem num arfar profundo de loucura... Já não sei o que sou, apenas em ti estou... Eu sou tu e tu és eu numa fusão de ser e estar... Na verdade és tu que me possuis, eu não te tenho, és tu que me tens, em ti eu me dou...E em ti me eternizo..."
.
.
(republicação dedicada, no dia dos namorados, a todos os que verdadeiramente se amam e tentam eternizar esse amar para além do corpo e para aquém da alma)

13/02/2005

escolha

"...o que nos muda, o que nos faz mudar, crendo na mudança do querer mudar, é a vontade de ser feliz, a decisão de ser feliz, a decisão de amar, descobrindo que não temos o direito de nos perder e que temos sempre o direito e a capacidade de escolher..."

10/02/2005

vento



...hoje apeteceu-me falar do vento como se fosse apenas um lamento de um velho Admastor prisioneiro de um poema já sem rima nem cor...

09/02/2005

pele

"...estou cansado de ser quem sou. Preciso mudar. Deixar de ser um e passar a ser outro. Mas quem? E, porquê este desejo? Não sei. Não me reconheço. Estou cansado de mim. Quero renascer em ti. Mas tu, quem és? Que fazes aí? Porque olhas assim para mim? Achas que devo mudar, é? Mas, diz-me ao menos para quê? De que me serve mudar? Se mudando não mudo a minha alma? De que serve mudar se voltar a ficar cansado da mudança? Porque entendes que deve existir mudança? Não posso ficar aqui? Onde sou? Como estou? Para que vim? Para onde queres que eu vá? Diz-me. Faz-se tarde e a viagem tem de ser iniciada de novo. Já nada do ontem levarei comigo. Fica tudo ali onde fui eu, onde estive e me despi da pele que me cobre a alma agora desnuda. Levarei tão somente o que me vieres a dar. De mãos vazias te seguirei. Sim, irei. Estou cansado de mim. Preciso adormecer o meu ser. Não quero mais acordar aqui. Quero ir. Leva-me..."

08/02/2005

luminosidade



...em Terça-Feira Gorda, tirar uma fotografia ao Sol, sem filtros, não é fácil; saíu assim e com um ponto de exclamação invertido...

07/02/2005

cinzas

"...Agonizo lentamente no beijo que não me deste; estremeço no desejo de o ter tido eterno!... Apenas sinto dor na carícia que me retiras quando penso que não há Verão em qualquer Inverno. Agonizo lentamente no abraço que me faz falta; estremeço no profundo anseio de o ter sentido forte!... E apenas diviso lágrimas na imensa loucura quando caminho em direcção à tua morte. Agonizo serenamente na dor que me cobre; estremeço de frio no túmulo da tua jazida, apenas limpando a dor da profunda desventurada e desdita corrida que fizeste contra a vida..."

05/02/2005

coexistir

"Amar é dar"
"Amor é partilha"


"...não há semente que se entregue à terra e que esta não a devolva em forma de flor - e é nisto que reside o amor..."

04/02/2005

Porto

...R. Sta. Catarina, hoje, 15.45 h....



...R. dos Clérigos, hoje, 16.00 h....



...vê-se mesmo que é Sexta-feira, fim de semana à vista...

03/02/2005

cativar

Não, não fui ao dicionário ver o significado da palavra do título deste post; nem vou. Tenho uma ideia e julgo não estar muito longe da verdade ao pensar que ela quer dizer "prender sem prisão". Ficar cativo de algo é ficar "preso" sem se estar "preso"; é apenas a noção de se sentir bem por algo que provoca essa sensação.
Existem nesta blogosfera (nome pomposo para designar o conjunto de blogs nesta esfera de acção que é a internet) blogs que cativam e blogs que não nos dizem nada; há blogs individuais e blogs colectivos; há blogs com aceitação de comentários e blogs que não os aceitam; há blogs de poesia, de prosa, de imagem, de tudo um pouco criando um universo interessante e novo neste novo mundo que temos à nossa frente e que nos abre as portas e a quem abrimos as portas.
Existem blogs que nunca visitarei pela simples razão da sua imensidão! São tantos que nunca chegarei a ter tempo para os visitar; são um pouco como os livros: nunca os lerei todos mesmo que nada mais fizesse na vida.
Existem blogs que visito diariamente, uma vintena, penso e depois com mais vagar visito outros e ainda faço a navegação de link em link na procura de algo que ainda não saiba. E tanta e tanta coisa que não sabemos!
Este mundo é maravilhoso, mas perigoso!... Tentador mas gostoso!... Traidor mas venturoso!... Feito com amor mas doloroso!...
Fiquei cativo de quase todos eles.
Gostaria de cativar alguns.

01/02/2005

incompleto

"...Enfrento o espelho e me abro. Olho-me e me sinto inteiro. Por dentro e por fora; noto defeitos e falhas; claro, não sou perfeito. Mas vejo-me diferente para além disso. Mas não sei porquê. Procuro a razão de tal sentir. Conto-me pedaço a pedaço: Tenho cabeça, pescoço e um braço; do outro lado um braço mais, um peito, um tronco, uma bacia, um pénis, dois membros inferiores e um pé de cada lado. Tenho cabelos, barba, pêlos, púbis, impressões digitais, testículos e tudo o mais. Tenho unhas roídas eu sei e tenho olhos, boca, dentes, orelhas e nariz. Sinto um coração a bater um estômago a roer; um intestino a doer e uma bexiga a gemer; pulmões a encherem-se de ar e tudo o mais que não consigo ver. Tenho dedos. Não vejo nada de grave; mas algo me diz que há um entrave. Sinto uma falha. Não estou completo. Olho à volta e em nada reparo que me possa dizer o que me faz sentir ser um ser incompleto; está tudo funcional... Então está tudo bem! Nada está mal... Mas o que é que falta que me provoca esta sensação de vazio, de nada, de tudo…? Repentinamente sinto frio. O espelho fica baço. Olho e é tão simples: Apenas me falta um abraço!..."