16/12/2004

inteligência pura

...tal como vos havia contado, no passado dia 20 de Setembro, o meu amigo Black foi atropelado por um outro animal que nem sequer parou apesar de ter dado pelo evento; na altura, e como existe aqui ao lado uma Clínica Veterinária, o Black foi lá internado e bem tratado; aos poucos lá foi recuperando e passado um mesito voltou ele novamente à "brincadeira" preferida que é andar a ladrar aos carros que passam; é um cão conhecido de toda a gente e todos gostam dele porque ele gosta de todos...
...ontem, de manhã (eu não estava em casa mas minha mãe me contou e depois vim a saber o resto) o Black surge aflito na cozinha aqui de casa, muito cansado, língua de fora e a pingar sangue; minha Mãe aflita gritou por ele mas ele deve-se ter assustado e então fez o seguinte:
- desceu as escadas, rumou ao portão, saiu para a rua e dirigiu-se à Clínica; subiu as escadas desta, entrou na sala de espera, entrou pelo corredor adentro e entrou na sala de consultas onde se encontrava a Médica de serviço; já junto dela, com a pata chamou-lhe a atenção e ela viu de imediato que o animal estava ferido!...
...ainda lá está em observação...
...falei agora com o Médico, o Dr. João, que me disse que provavelmente o Black vai ter de ser operado para extração do olhito traumatizado...
...o Black não pode ser preso a uma corrente; o Black é o espírito da liberdade e eu não o farei nunca; por outro lado, o próprio Médico diz que prefere ver o Black morrer atropelado, mas feliz, do que morrer aprisionado e infeliz...
...não conheço (nem os Veterinários conhecem) caso algum em que um animal tenha recorrido por si mesmo ao "seu" médico para ser tratado!...
...digam-me se isto não é um puro exemplo de pura inteligência...
...digam-me se não é motivo para amar ainda mais os animais...
...para todos vós, um sorriso do Black (porque apesar de tudo, ele está lá com um sorriso no focinho)

11 comentários:

  1. Começo por responder às tuas perguntas: Claro que é!! E também sei que o Black voltará, em breve e já recuperado, a ladrar aos carros, feliz nessa liberdade que sempre gozou! Um beijinho para ele e outro especial para ti.
    Cinda

    ResponderEliminar
  2. Pensei a mesma coisa quando li o teu post :)
    mais um beijinho...agora, da Gata.

    ResponderEliminar
  3. Acho que as opções são essas. Ao mesmo tempo, cada vez mais me surpreende a falta de humanidade das pessoas que continuam a conduzir de forma descuidada, como se a vida dos outros fosse do somenos. É que quem atropela um cão e não para, fará o mesmo com um semelhante.
    Abraço e as melhoras do Black

    ResponderEliminar
  4. mas não há maneira desse cão aprender a não enfrentar ou apenas a desviar-se dos carro?

    ResponderEliminar
  5. Alguém já disse um dia (infelizmente nao me lembro quem, exatamente?):
    "Quanto mais conheço os homens,
    mais estimo os animais!"
    O caso de Black é típico desta opiniao... Acredite! Ele ganhou em mim uma grande admiradora!
    Ele voltará sao e salvo! E... Livre!
    Beijos!

    ResponderEliminar
  6. Obrigada, Quim! Ficou lindo! um grande beijo

    ResponderEliminar
  7. Formidável!Como espirito da liberdade deve morrer com ela..nunca ser preso.Cumprimentos.Arte por um Canudo.

    ResponderEliminar
  8. oh! Quim que delícia!eu também tenho um cão experi~encia de há um ano e tal que antes só tive gatos muitos gatos e ninhadas deles resta uma velhinha! os animais são uma delícia! Vinha dar-te apenas um abraço agora deixo-te um carradão de beijinhos!

    ResponderEliminar
  9. Que animal fantástico!
    Nunca tinha até agora sabido de nenhum cão
    que por si só fosse ao médico.
    É mesmo uma inteligência pura! E livre.
    Só espero que desta vez ele tenha aprendido.
    Um sorriso grande para ele, que ele merece.
    As melhoras!!!

    ResponderEliminar
  10. Uma história com quase 30 anos:O meu filho João Pedro caíu da bicicleta e desmaiou. Bairro dormitório (ainda o Olivais Shopping Center não tinha sido construído) não havia ninguém na rua e, nas casas, apenas as empregadas. O Nicky, o rafeiro que então tínhamos (como o Black, impossível de prender) foi arranhar e ladrar à porta do único andar cujo proprietário tinha transformado em atelier e onde, naquela altura, havia gente com carro. Uma história incrível, mas verdadeira.
    O teu Black (e todos os animais do mundo) jamais teria deixado o indivíduo atropelado sem assistência....

    ResponderEliminar
  11. betania comenta:
    Tadinho do Black. Já me habituei a ele como ao meu Mondego. Fico tão preocupada e sofrida. Para mim, os
    animais e em especial os cães, são os meus melhores amigos.

    Beijinhos para ti e para o BLACK.
    betania
    http://betanices.blogs.sapo.pt

    ResponderEliminar